sexta-feira, junho 23, 2017

S. João da Praia da Tocha.



S. João da Praia da Tocha.
O jazo deste ano é dos bons. É de bons toques e tem modas daquelas que a gente gosta, cantigas que até se podem ouvir no rádio, e vão a tocar até ao banho santo. Já estou a ver como vai ser a festa no largo onde rodeiam os automóveis. Um pavilhão enfeitado à volta de um pau alto espetado no chão, com flores de papel de cores variadas, garridas, das mais lindas e vistosas, atadas com o fio de atar chouriças aos cordéis que vêm do cimo do tronco central aos paus que estão em redor, à volta do mastro. O mastro terá que levar no cimo duas ripas em cruz, enfeitadas, onde serão dependurados dois candeeiros a petróleo novos, a estriar. Do lado do Norte vai ficar o coreto do jazo. Se o fizerem com no ano passado, o chão será em tabuado de costaneiros da serração nova do Carvalho, e com uma escada ainda mais bem-feita que a do palheiro do Gomes Rico para que os músicos por ela subam ao palanque. Tudo enfeitado com flores de papel e das outras, que eles merecem. De fatos claros, lindos e bem passados, com uma tira vermelha no bolso do peito e ao longo das costuras das calças, logo aquele cantor que é um homem bem feito, todo penteado e de dentes brancos, quando o saxofone pára de explicar a cantiga, ele na frente do coreto e cantará de viva voz aquela cantiga com palavras lindas de morrer que só ele sabe dizer.

Sem comentários: